estudar

Aprende a tirar apontamentos nas aulas

Uma das diferenças do ensino secundário para o universitário é que não és obrigado a ir às aulas. Porque haverias de faltar? É como pagar o ginásio e nunca meter lá os pés 😛

Lição: Ir sempre às aulas! Em média, quando se falta a uma aula demora-se o dobro do tempo a recuperar o que se perdeu.

É por isso que deves ir às aulas: não porque os teus pais esperam que o faças mas, no mínimo, porque te poupa tempo. É claro que estar presente na aula não chega. Para reduzir o tempo de estudo em casa precisas tirar bons apontamentos.

Dica: Desenvolve as tuas próprias abreviaturas. Vais reparar em certas palavras, grandes ou pequenas, que estás constantemente a escrever. Arranja uma abreviatura que te faça sentido e que te ajude a escrever mais depressa.

Se puderes, escreve as tuas notas num portátil. Vais espantar-te com a qualidade e legibilidade dos teus apontamentos. Escreves muito mais depressa num teclado do que no papel. Desta forma, os “apontamentos digitais” permitem-te apanhar mais matéria e em mais detalhe. Em alternativa, usa um bloco de notas ou um caderno e uma caneta ou lápis que te permita escrever rápida e confortavelmente. Encontra um compromisso entre legibilidade e velocidade, pois não vale a pena escreveres tudo e muito depressa se depois não vais conseguir perceber o que escreveste.

Lição: Os teus apontamentos são para ti e mais ninguém, por isso não precisam fazer sentido a outra pessoa.

Muitos estudantes têm a preocupação de tornar os seus apontamentos elegantes mas isso tem um preço: não só prestam menos atenção ao que estão a escrever como vão demorar mais tempo a escrever, resultando em conteúdo escasso e fraco. Não te preocupes em manter um esquema consistente. Usa a formatação do texto livremente de forma a salientar pontos importantes. Preocupa-te apenas com a informação que estás a registar.

Apontamentos de aulas teóricas: “Qual é a ideia geral?”

Por não-técnicas refiro-me a cadeiras como História, Psicologia ou Línguas, bem diferentes das Ciências ou Matemáticas das engenharias. O objetivo é identificar as ideias principais da aula – explicá-las, contrastá-las, corroborá-las. Os estudantes precisam avaliar o discurso do professor e separar as conclusões e argumentos interessantes das simples divagações.

Quando chegares à aula, aponta a data e o título da aula. Se estiveres a usa o portátil, cria uma pasta para cada aula. O maior desafio vai ser decidir o que escrever. A questão “será que o que ele disse é importante?” vai vir-te muitas vezes à cabeça. Usa a seguinte estrutura nos teus apontamentos:

Pergunta

Fundamentos

Conclusão

A maioria das ideias nas aulas não-técnicas é apresentada desta forma. Ao tomares as tuas notas da mesma maneira torna-se mais fácil perceberes quando é que algo é importante.

Nem sempre os professores explicitam a pergunta. Muitas vezes passam diretamente aos fundamentos e esperam que sejas capaz de deduzir a pergunta. O mesmo é verdade para conclusões; por vezes limitam-se a dar pistas para que descubras por ti próprio.

Raramente as conclusões são simples. Por isso deves fazer perguntas ao professor que te ajudem a perceber se as tuas conclusões estão corretas ou não. Se fores tímido(a), vai ter com ele no final da aula ou num horário de dúvidas.

Se não tiveres tempo de apontar algo ou não conseguires determinar a pergunta ou conclusão deixa um espaço em branco e continua. Num momento em que a aula esteja mais calma, numa divagação por exemplo, volta atrás e tenta preencher o espaço.

No final da aula, deves gastar cinco minutos para aperfeiçoar os teus apontamentos. Relê o que escreveste, tenta percebê-lo ou memorizá-lo e faz as correções ou adições que achares necessárias. Se não o fizeres podes esquecer-te completamente do que foi dado nessa aula. Estes pequenos momentos farão uma grande diferença quando chegar a altura de rever a matéria.

PERGUNTA: O que causou a queda do Império Romano? Desde o século … que se crê que isso se deveu a … Nome Apelido – escreveu um livro onde diz que … Fulano Beltrano – escreveu livros com argumentos semelhantes. CONTUDO: novos estudos e descobertas arqueológicas contrariam essa opinião – Prova 1 … – Prova 2 … CONCLUSÃO: O argumento defendido não é verdadeiro porque …

Apontamentos de aulas práticas: “Qual é o problema?”

O objetivo é registar o maior número de exercícios possível. A maioria das cadeiras técnicas tem leitura recomendada. Pode parecer uma blasfémia mas não leias. Porquê? Porque essa precisa matéria vai ser explicada na aula. Se não perceberes algo depois do professor o explicar na aula, então deves fazer a leitura na tentativa de compreender o que falhou. Esta abordagem/ordem é muito mais eficiente.

Num mundo perfeito, no final da aula terias apontados todos os exercícios abordados na aula bem como as suas resoluções e passos. Não esperes que isso aconteça, por isso precisas estabelecer prioridades.

  • Aponta o enunciado do exercício e a sua resposta. Esta é a tua prioridade máxima. Com isto tens tudo o que necessitas para mais tarde tentares resolvê-lo sozinho.
  • Esclarece as dúvidas. Se não perceberes algum passo pergunta ao professor. Se não puderes ou quiseres perguntar durante a aula, pelo menos aponta onde te confundiste ou o que não percebeste. Esclarece as dúvidas no final da aula ou num horário de dúvidas. Quantas menos dúvidas levares para casa melhor.
  • Aponta os passos de resolução do exercício. Se não conseguires apontar todos pelo menos aponta os iniciais, uma vez que são eles que te vão guiar na procura de uma solução mais tarde.

Todos estes apontamentos e notas que tiraste durante as aulas vão-te ser muito úteis quando estiveres a preparar a matéria para o teste.

Diogo Nunes

Diogo Nunes é Mestre em Eng. Informática pelo IST. A sua visão é melhorar a vida das pessoas através da tecnologia. Além disso escreve para o blogue "The Geeky Gecko" e já conta com três livros publicados. A sua segunda paixão é a fotografia.