preparar-estudar-teste-exame-panico-dificuldade

Preparação da matéria para o teste

No seguimento dos 5 conselhos para melhorares as notas dos teus testes, uma preparação ou revisão para um teste não deve ser dolorosa e não deve gastar muito tempo.

A maioria dos alunos eficazes não considera “estudar” um grande problema. Isto acontece porque a maior parte do trabalho de preparação para o teste já foi feito antes desta etapa, ao tirares bons apontamentos durante as aulas ou resolvendo exercícios.

Tudo o que resta fazer é uma revisão das ideias que por esta altura já dominam. Os estudantes que fazem maratonas de estudo sem descanso, por outro lado, estão a gastar a maioria do seu tempo a tentar aprender as ideias de raiz. Ideias essas que deviam ter sido interiorizadas passo a passo ao longo do semestre.

Lição: Se estás a estudar muito é porque fizeste alguma coisa mal.

Define o teu objetivo

Primeiro que tudo precisas definir a extensão do teste. Que matérias vão ser testadas? Em que aulas podes encontrá-las? Que tipo de perguntas vão ser feitas? Fáceis ou difíceis? Existe formulário ou precisas decorar fórmulas? Quando tempo dura o teste?

Constrói um Guia de Estudo (cadeiras não-técnicas)

Reúne todos os apontamentos das aulas e das leituras que fizeste. Junta-os em pilhas, separadas por tópicos. Identifica cada pilha e agrupa-os com um clipe ou algo semelhante. Quando fores estudar só precisas de “atacar” uma pilha destas de cada vez.

Constrói um Conjunto de Problemas (cadeiras técnicas)

Vai aos apontamentos das aulas e copia apenas o enunciado de todos os exercícios exemplo para uma folha em branco. Identifica essa folha com a data da aula de onde foram tirados. Podes ainda adicionar outros exercícios que achares úteis para o teu estudo. Agrupa estes exercícios por temas. No final terás várias folhas de exercícios agrupadas para cada tópico de estudo.

Prepara os materiais a memorizar

Escreve numa folha tudo o que precisas decorar até ao teste. Arranja uns cartões e escreve de um lado uma pista e do outro lado a resposta. Por exemplo, se quiseres fixar a data em que o Brasil foi descoberto pelos Portugueses escreve de um lado “Data do descobrimento do Brasil” e do outro a resposta “1500”. Esta tarefa pode demorar mais tempo do que pensas por isso começa cedo, ex. uma semana antes do dia em que vais começar a estudar.

Organiza num dia, estuda no outro

Não faças esta organização do material de estudo no mesmo dia em que vais começar a estudar. O teu cérebro vai estar demasiado cansado para fazer as duas de forma eficiente.

Conquistar as matérias

Chegou a altura. É tempo de estudar. Todo o trabalho desenvolvido até agora teve como objetivo tornar este passo o mais rápido e indolor possível.

Lição: Quando chega a altura de estudar deves ter pelo menos uma compreensão vaga de cada assunto que vai ser abordado no teste.

O método Questionar-Relembrar

O método mais eficiente de aprenderes um conceito é primeiro revê-lo e depois tentares explicá-lo, sem ajudas, pelas tuas próprias palavras. Se fores capaz de fechar os teus olhos e articular um argumento do nada, ou olhar para uma folha branca e reproduzir a solução de um problema sem erros então conseguiste apreender a ideia.

O mesmo não é verdade se te limitares a ler algo. Rever um conceito de forma passiva não é o mesmo que tentar ativamente reproduzi-lo. Existe o mito de que quantas mais vezes se ler algo, mais se percebe e se memoriza. Em primeiro lugar, a memorização só é conseguida a longo prazo. E em segundo lugar, o estudante está a enganar-se a ele próprio porque pensa que percebeu algo quando o que fez foi decorar algo para “despejar” no teste. Isto não é conhecimento. Nem sequer é durável.

Outra vantagem da abordagem que sugeri é a sua eficiência. Gastas menos tempo com perguntas que dominas e mais tempo com aquelas que mais te confundem. Além disso tens uma meta bem definida. Quando acabares os exercícios sabes que acabaste o estudo, não precisas de te preocupar se estudaste o suficiente ou não.

Questionar-Relembrar para cadeiras não técnicas

Para aplicar este método a matérias não técnicas primeiro precisas construir um conjunto de perguntas que cubram a matéria do teu guia de estudo. Felizmente as respostas a estas perguntas já existem, pois se seguiste os nossos conselhos as tuas notas já estão todas na forma pergunta » fundamentos » conclusão. Portanto basta-te olhar para a pergunta de cada uma das tuas notas. Se conseguires responder a todas as perguntas é porque compreendes as ideias gerais.

Quando o questionário estiver completo, para cada pergunta tenta articular a conclusão respetiva e tenta lembrar-te de alguns fundamentos da mesma. Não precisas reproduzir o material palavra por palavra mas precisas ter uma ideia razoável e sucinta. O importante aqui é não responderes às perguntas mentalmente mas sim oralmente ou por escrito. Diz frases completas e com sentido, caminha pelo teu espaço de estudo e imagina que estás a dar a aula. Ao fazê-lo estás a estimular o teu cérebro e não só a aprendizagem é maior como se torna menos enfadonha. No entanto, se não o puderes fazer podes simplesmente escrever as respostas.

Se tiveres dúvidas numa pergunta, marca-a e passa à seguinte. Quando terminares revê as soluções das questões marcadas. Faz uma pausa. Repete o processo, mas desta vez responde só às questões que te levantaram dúvidas. Segue este método até terminares todos os exercícios. Está feito.

Questionar-Relembrar para cadeiras técnicas

Começa pelas questões teóricas. Ao pensares em conceitos mais gerais primeiro torna-se mais fácil resolveres os exercícios específicos que se seguem. Quando acabares tenta resolver os exercícios exemplo. Mais uma vez, não o faças mentalmente, resolve-os num papel. Sê honesto: se te limitas a “vomitar” soluções memorizadas, não estás preparado para novos problemas que possam aparecer no teste (ou na vida).

Se uma questão te despertar dúvidas, marca-a e passa à seguinte. Quando terminares revê as soluções das questões marcadas. Faz uma pausa. Repete o processo, mas desta vez responde só às questões que te levantaram dúvidas. Segue este método até terminares todos os exercícios. Está feito.

Se tiveres acesso a testes dos anos passados, estes são uma fonte espetacular de exercícios, pois é muito provável que o teu teste tenha perguntas semelhantes. Quando terminares o método Questionar-Relembrar deves tentar fazer um destes testes, dentro do mesmo tempo que vais ter disponível para realizar o teu teste. Considera este passo como uma última verificação ao teu estudo. Se surgirem-te muitas dúvidas durante a sua resolução é porque o teu estudo anterior não foi eficaz e precisas rever a matéria. Se as dúvidas se mantiverem pergunta a um colega ou professor.

Memorização eficiente

Deves usar os cartões que fizeste. A memorização depende da tua energia mental, por isso não tentes memorizar nada quando te sentires exausto. Também funciona melhor se for faseada, ou seja é melhor tentares memorizar durante uma hora por dia do que oito horas num só dia. De vez em quando podes baralhar os cartões para ver se continuas a lembrar-te das respostas.

Investir num “Seguro de Desastre Académico”

Certamente já ouviste esta história ou passaste por ela. Todas elas começam da mesma maneira: A primeira pergunta do teste é fácil, tens ainda muito tempo e tudo parece bem. Depois eis que a encontras – uma pergunta que não fazes ideia como resolvê-la. Deixá-la em branco não parece uma solução, tentas mas não te lembras da solução, o tempo vai passando e sentes-te desconfortável. Tentas a próxima mas a aquela continua a preocupar-te. Se te aparece outra igual instala-se o pânico.

Este é o Desastre Académico. A maioria dos estudantes acha que estas situações são inevitáveis, o que não é verdade. Seguem-se alguns conselhos para as evitares.

Esclarece os teus pontos de interrogação

Já aprendemos técnicas para tirar notas úteis durante as aulas. Se bem te lembras, esta estratégia sugeria-te que colocasses um (?) ponto de interrogação em cada assunto que não percebesses bem. Estes pontos de interrogação são perigosos, deves olhar para eles como pontos onde podes falhar no teste. O cenário é muito simples:

Durante o semestre houve alguns tópicos que não percebeste e acabaste com um molho de pontos de interrogação nas tuas notas. Quando chega a altura de estudares, tens muitos conceitos para rever e perceber, por isso os pontos de interrogação que vão aparecendo nas notas são ignorados. Chegas ao exame sentindo-te preparado(a) mas eis que ficas cara-a-cara com uma pergunta que cobre um desses tópicos ignorados. Ups!

Para evitar que isto aconteça precisas eliminar os pontos de interrogação. A chave para o conseguir é começar bem antes do exame. Aprender uma grande quantidade de matéria de raiz durante o processo de revisão é um erro que deves evitar. Quando chega a altura de estudar deves ter pelo menos uma compreensão vaga de cada assunto que vai ser abordado no teste.

  • Faz perguntas durante a aula. Quando surgir uma dúvida, levanta a mão e pergunta ao professor. Quantas mais dúvidas eliminares na altura, menos trabalho vais ter mais tarde.
  • Cria o hábito de falar com o teu professor no final da aula. Fala com o professor e esclarece as tuas dúvidas ou manda-lhe um email. Muitos professores ficam até um pouco mais depois de a aula terminar. Aproveita esse tempo para corrigir as tuas notas antes que te esqueças das explicações.
  • Pergunta a colegas. Pode ser que alguém da turma tenha percebido e te possa esclarecer a dúvida, enquanto ainda está fresco na sua memória.
  • Vai (preparado) às aulas de revisão para o teste, se estas existirem. Nestas aulas deves levar todas as tuas dúvidas apontadas e esclarecer tantas quantas puderes. A maioria destas aulas têm poucas perguntas dos alunos por isso até é provável que o professor fique agradecido por levares perguntas.

Se na altura de rever continuares com dúvidas em alguns tópicos, a tua última alternativa é revê-los superficialmente. Não terás tempo de os aprender por isso prioritiza e assume que só vais rever o suficiente para te permitir ter algo a dizer se a pergunta surgir no teste. Pelo menos não deixas a resposta em branco.

Já que estamos a falar em exames, já vista as 10 dicas para tirares boas notas na universidade?

Diogo Nunes

Diogo Nunes é Mestre em Eng. Informática pelo IST. A sua missão é melhorar a vida das pessoas através da tecnologia. Além disso escreve para o blogue "The Geeky Gecko" e já conta com três livros publicados. A sua segunda paixão é a fotografia.