estudante-excelente-boas-notas

Quem quer ser um estudante excelente?

Já te explicámos as diferenças entre o secundário e a faculdade. Por exemplo, a matéria a perceber é muito mais complexa e os professores são mais exigentes. Os métodos usuais de estudo tornam-se ineficientes e obsoletos: consomem demasiado tempo e energia.

Os estudantes universitários queixam-se que não têm tempo suficiente para acabar os seus trabalhos, muito menos para dedicar a outras tarefas extra-curriculares. Muitos entram num estado de permanente atraso-recuperação (catch-up). O tempo evapora-se e parece não haver horas suficientes num dia para acompanhar todos os estudos e acabar todos os trabalhos. Não precisa ser assim.

Vida social + Sucesso académico + Extracurriculares

O objectivo de qualquer estudante deve ser conjugar estas três realidades. Para tal…

  • É necessário ter controlo sobre o nosso modo de vida. As sessões de trabalho intenso devem ser distribuídas pelo tempo para haver momentos para recarregar. Para isso é necessária gestão de tempo.
  • É necessário combater o desejo de procrastinar, para que a calendarização seja cumprida. Para isso é necessária auto-motivação.
  • É necessário escolher bem os locais, altura do dia e duração do estudo.

Tenho uma dezena de artigos preparados onde vou falar sobre como deves gerir o teu tempo para cumprires os teus deveres de estudante e ainda te sobrar tempo para estar com os teus amigos; como deves tomar apontamentos e estudar para os exames; e finalmente como ler de forma eficiente para extraíres o máximo de informação relevante no menor tempo possível.

A dura realidade dos caloiros

A maioria dos estudantes são terríveis a estudar. Quando os caloiros chegam à universidade estão por sua conta. A data do teste aproxima-se e o típico estudante amontoa os livros e cadernos e lê-os infindáveis vezes – conversando frequentemente com os amigos e vendo uns vídeos pelo caminho – até não aguentar mais. Os mais resistentes não vão dormir. No dia do teste todos aparecem com olhares ensonados, completamente inseguros de que nota esperar. E as notas médias-baixas que tiram nunca são dignas do esforço que fizeram.

Costuma-se apelidar de “pseudo-trabalhar” o infeliz hábito de estudar durante longas, passivas e fatigantes maratonas de sofrimento. Depois também há quem leia infinitas vezes os apontamentos até que alguma coisa fique na memória para regurgitar no exame. Tudo péssimas maneiras de estudar. Além de não funcionarem – pois não estás realmente a aprender nada – são extremamente ineficientes e consumidoras de tempo e energia. E porque são aborrecidas, a tua mente cansa-se rapidamente e longas horas de estudo produzem poucos resultados.

Pensas se o problema será só teu, mas os teus colegas também se queixam incessantemente sobre não terem tempo para dar conta de todos os trabalhos que lhes são pedidos. Alguns desistem, outros tornam-se zombies que dormem uma vez por semana. Há muitas maneiras diferentes de estudar e, principalmente, melhores.

É possível fazer uma analogia com o basquetebol. Os alunos que seguem os métodos de estudo acima mencionados estão a tentar encestar a bola atirando-a de longe “à padeiro” (como se diz na gíria). Um bom estudante descobre qual a maneira correcta de lançar a bola e encesta sempre. Não interessa que os outros pratiquem 2x mais horas, quando chegar a altura do jogo os bons estudantes vão ganhar sempre e os restantes vão queixar-se de como a vida é injusta para com eles.

A realidade do estudante excelente

É possível ter boas notas – usando métodos eficientes, que gastam menos tempo e produzem melhores resultados – sem prejudicar a tua saúde, felicidade e vida social.

Não estás na universidade apenas porque te pareceu a coisa certa a fazer. Estás lá para dominar novas áreas de conhecimento, para expandir as tuas capacidades e, se possível, divertires-te enquanto o fazes. Ao alcançares boas notas, estás a abrir portas a muitas oportunidades interessantes que te permitam decidir o que fazer após a universidade e que façam sentir realizado(a).

how to become a straight A student cover

P.S: Os artigos de que falei foram baseados no livro “How to Become a Straight-A Student”, que me foi recomendado em conversa por um professor da universidade. Mais uma prova que vale a pena falar com quem sabe mais do que nós.

Diogo Nunes

Diogo Nunes é Mestre em Eng. Informática pelo IST. A sua visão é melhorar a vida das pessoas através da tecnologia. Além disso escreve para o blogue "The Geeky Gecko" e já conta com três livros publicados. A sua segunda paixão é a fotografia.